Superficial



Por vezes sinto-me só entre todos. Aquilo que me motiva é levianamente sentido pelos outros, sintonizo á margem da onda comum e a minha perde-se no universo.
Sinto-me agitado olhando o mar calmo, porque ele arde e borbulha com o mergulho do astro rei. Transcendo a primeira impressão e exploro o infinito profundo que avança na noite.
Grito! Mas nada nem ninguem me houve. Que agonia.

Comentários

  1. "Lê-se mal, talvez. Mas ainda se ouve pior(...).Por princípio, ninguém se ouve senão a si mesmo - cada um a adorar os seus próprios pensamentos, surdo às palavras dos outros que resvalam nas armaduras de vaidade que todos envergamos de manhã, antes de sairmos para o combate dos dias." José Gomes Ferreira

    ResponderEliminar
  2. Grito abafado em garganta seca...

    ResponderEliminar
  3. Estados de alma? Seja o que for... está fantástico!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

O Pais das Gasosas

A Nova Politica